comportamento

Saiba quando é a hora certa de dar mesada para o seu filho

Criança que aprende a poupar desde cedo se torna adulto mais consciente. Foto: iStock, Getty Images

Dar mesada incentiva a educação financeira das crianças, ensinando a valorizar o que é adquirido.

A educação financeira começa em casa, desde cedo. A criança deve entender que ela não poderá ter tudo, por isso a importância do “não” no supermercado ou no shopping. A mesada é uma boa alternativa para ensinar os filhos a cuidar do dinheiro e a desenvolver esse comprometimento.

Com a mesada, a criança tende a aprender a valorizar o dinheiro, além de vivenciar a frustração de querer algo que não pode comprar. Assim, tem como outra lição a necessidade de poupar para atingir o seu objetivo.

O momento certo de dar mesada

Não existe receita pronta, pois cada família deverá avaliar a maturidade e responsabilidade dos filhos. Um bom período para introduzir a mesada com periodicidade é entre os 6 e 7 anos.

Nessa idade, o benefício pode ser semanal, uma vez quer as crianças são muito pequenas para compreender uma linha maior de tempo. A partir dos 10 ou 11 anos, já é possível criar um ciclo mensal.

É importante ter consciência de que a mesada funciona como uma forma de educação financeira, desde que aliada a uma orientação dos pais. Os filhos podem aprender a poupar o dinheiro até chegar na quantia desejada para comprar algo que gostariam. Assim, irão valorizar ainda mais aquilo que foi comprado com seu próprio dinheiro.

Criança que aprende a poupar desde cedo se torna adulto mais consciente. Foto: iStock, Getty Images

Quanto dar de mesada?

Os valores variam muito e cada família deve estabelecer uma quantia que fique cômoda na situação financeira dos pais. Não é porque o coleguinha recebe um valor que o seu filho deva receber o mesmo.

É preciso ter mente que essa não é uma independência econômica, mas um passo para a maior compreensão do dinheiro.

A mesada não deve ser paga para que a criança arrume seus brinquedos ou deixe o quarto em ordem. Esses deveres devem ser ensinados e o pequeno deve ter consciência de que a tarefa é de sua responsabilidade, independente da mesada. Se os pais quiserem estimular os filhos com atividades, vale investir em tarefas fora de seus deveres.

Quando a mesada é estabelecida, é preciso ter equilíbrio. Os pais não devem negar pagar tudo, nem aceitar arcar com todos os gastos. No período de adaptação dessa nova dinâmica financeira, é preciso explicar aos pequenos que, a partir daquele momento, ele será responsável por juntar dinheiro para certas regalias, como um brinquedo, figurinhas e jogos de videogame.

Bate-papo em família para tirar dúvidas

A mesada pode trazer muitos benefícios no desenvolvimento social e consciência financeira das crianças, no entanto, só dar o dinheiro periodicamente não é suficiente. É muito importante que os pais conversem com os filhos sobre a importância daquele ato.

A criança deve reconhecer a mesada como a responsabilidade de guardar, poupar e investir em algo que gosta. Os pais devem orientar os filhos que o momento de comprar é quando tem o dinheiro disponível. Enquanto isso não acontece, é preciso ter paciência para juntar a mesada e conseguir chegar no valor necessário.

Gostou das dicas de bem-estar? Então deixe um comentário! E não esqueça que você sempre encontra novidades aqui